Novos testes rápidos só depois de validados

A secretária de Estado e Adjunta da Saúde, Jamila Madeira, afirmou que Portugal só vai implementar a utilização de eventuais novos testes rápidos à covid-19 depois de a sua segurança e eficácia ser validada.

“Se nos for sinalizado como tendo a qualidade, o grau de segurança, e os níveis de risco que nós adotamos para o combate a esta pandemia, naturalmente será uma das opções”, explicou.

 

Jamila Madeira indicou ainda que as autoridades portuguesas têm acompanhando de forma próxima os desenvolvimentos, mas não podem descurar na avaliação da qualidade.

 

“Aquilo que nós fazemos é uma verificação, por parte das entidades de saúde nacionais, se cumprem os critérios de segurança para o resultado, para um número muito marginal de falsos negativos, e, naturalmente, se estão validados no quadro da comunidade cientifica”, acrescentou a secretária de Estado e Adjunta da Saúde.

 

 

08-09-2020