Lucro da Merck cai 11,8% no primeiro trimestre do ano

O lucro da farmacêutica alemã Merck caiu 11,8% no primeiro trimestre deste ano para 521 milhões de euros, face a mesmo período do ano anterior. A redução justifica-se com o valor do lucro do primeiro trimestre do ano passado, que contabilizou os resultados extraordinários da venda dos direitos do fármaco Kuvan.

 Recorde-se que o grupo farmacêutico e químico alemão vendeu, no início do ano passado, os direitos do Kuvan – cópia sintética de uma substância do organismo humano, a tetrahidrobiopterina (BH4), o fármaco é utilizado em doentes com níveis anormalmente elevados de fenilalanina no sangue – à BioMarin Phamaceutical por 324 milhões de euros, o que levou a que tivesse sido contabilizado este valor nos resultados líquidos desse ano.

 O resultado operacional da farmacêutica, por sua vez, diminuiu 11,1% nos três primeiros meses deste ano, para 755 milhões de euros. A faturação aumentou 5,3% entre janeiro e março deste ano, para 3,9 mil milhões de euros, face ao mesmo período do ano anterior.

“Para a Merck, 2017 é um ano de muitos desafios, mas de imensas oportunidades”, disse o presidente da multinacional alemã, Stefan Oschmann. Se prosseguir a sua “clara estratégia” de crescimento nos três setores de negócio – química especializada, saúde e ciências da vida -, a Merck irá melhorar os resultados, diz Oschmann. O grupo espera que as vendas melhorem e se situem entre os 15,5 mil e os 16 mil milhões de euros no final deste ano.

19-05-2017